ADJUNTO ADNOMINAL x PREDICATIVO
15776
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-15776,wp-custom-logo,bridge-core-2.9.0,qodef-qi--no-touch,qi-addons-for-elementor-1.5.1,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode_disabled_responsive_button_padding_change,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-27.4,qode-theme-bridge | shared by wptry.org,wpb-js-composer js-comp-ver-6.7.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-24274,aa-prefix-lingu-
 

ADJUNTO ADNOMINAL x PREDICATIVO

É muito comum a confusão entre o adjunto adnominal e o predicativo. Essa confusão tem origem no fato de essas serem duas funções desempenhadas pelo adjetivo. Então, do ponto de vista semântico, você observará que o adjunto adnominal corresponde, normalmente, a uma adjetivação que ocorre de forma completamente alheia ao processo verbal, ao passo que o predicativo corresponderá a uma adjetivação que guarda alguma relação (normalmente causal ou temporal) com o processo verbal:

 

Ex.:

 

(1) O aluno doente chegou.

(2) O aluno chegou doente.

 

Vê-se que, em (1), o adjetivo “doente” traz ao substantivo (menino) uma condição permanente, ao passo que em (2) essa condição está associada ao processo verbal (O menino não é doente, ele estava doente quando chegou.). É importante notar, portanto, que, nesse caso,  o adjunto adnominal agrega uma característica constante ao substantivo. O predicativo, por seu turno, dá uma característica mais momentânea ao substantivo.

 

Sob uma perspectiva mais estrutural, que é sempre a minha preferida, podemos diferenciar o adjunto adnominal do predicativo através da substituição da estrutura sintática por um pronome pessoal equivalente. Veja os exemplos: Busquei o caderno velho. / Busquei-o. Note que a estrutura o caderno velho pode ser totalmente substituída por -o. Isso caracteriza o adjunto adnominal. Agora, veja outro exemplo: Considero sua decisão triste. / Considero-a triste. Note que a estrutura sua decisão triste não pode ser substituída inteiramente, caracterizando o predicativo, que nesse caso é o predicativo do objeto, pois se refere ao substantivo decisão (OD). Ou seja, se a estrutura inteira (substantivo + adjetivo) se transformar em pronome, trata-se de um adjunto adnominal; caso apenas o substantivo seja substituído pelo pronome, ficando a adjetivo fora dessa substituição, temos um predicativo.

 

Entendeu??? Exercite, classificando sintaticamente os adjetivos abaixo:

 

1) Os professores consideravam inevitável a aplicação da segunda chamada.

2) O garoto extrovertido foi o que mais chamou a atenção dos convidados.

3) O bom filho obedece aos pais atenciosos.

4) Eu achei a matéria fácil.

5) A professora explicou uma matéria difícil.

6) A mulher, simpática e sorridente, veio entrando.

 

RESPOSTAS:

 

1) Predicativo do objeto

2) Adjunto adnominal

3) Adjunto adnominal / adjunto adnominal

4) Predicativo do objeto

5) Adjunto adnominal

6) Predicativo do sujeito / Predicativo do sujeito

 

Prof.ª Dr.ª Patrícia Corado

Date
Tags
Adjunto adnominal, Língua Minha, Predicativo
7 Comentários
  • VALMIR
    Postado 13:14h, 18 março Responder

    Professora, meus parabéns. Melhor explicação que já encontrei… Sou seu fã!

    • Língua Minha
      Postado 12:48h, 19 março Responder

      Obrigada, Valmir!!!! Fico muito feliz com o seu comentário!!!! Abraço!

  • Robson
    Postado 22:28h, 18 março Responder

    (1) O aluno doente chegou.
    (2) O aluno chegou doente.

    Vê-se que, em (1), o adjetivo “doente” traz ao substantivo (menino) uma condição permanente, ao passo que em (2) essa condição está associada ao processo verbal (O menino não é doente, ele estava doente quando chegou.). É importante notar, portanto, que, nesse caso, o adjunto adnominal agrega uma característica constante ao substantivo. O predicativo, por seu turno, dá uma característica mais momentânea ao substantivo.

    Tenho a sensação de que houve erro no exemplo acima,não? Ora, no (1) de fato a condição é de permanente com relação ao (2). Mas em seguida, afirma-se que o adjunto adnominal agrega uma característica constante ao substantivo, não seria o contrário?

    • Língua Minha
      Postado 12:58h, 19 março Responder

      Robson, obrigada pela sua visita!!!!
      Quanto à sua sensação, reli o artigo e não observei o equívoco. De fato, em (1) temos uma adjetivação mais “permanente”, o que é uma característica semântica do adjunto adnominal, Em (2), essa adjetivação está mais vinculada ao processo verbal, o que é uma característica semântica do predicativo. Veja: “o adjunto adnominal agrega uma característica constante ao substantivo. O predicativo, por seu turno, dá uma característica mais momentânea ao substantivo”. Assim, em (3) A mulher sorridente encanta os convidados…, temos uma adjetivação constante (A mulher é sempre sorridente), portanto esse adjetivo funciona aí como ADJUNTO ADNOMINAL. Em (4) A mulher, sorridente, encanta os convidados…, há a sugestão semântica de que a mulher estava sorridente naquele momento (característica mais momentânea), o que é um viés semântico do PREDICATIVO. Entendeu? Caso sua dúvida persista, fique à vontade para perguntar de novo! É um prazer responder… Um grande abraço!

  • Eduardo Paz
    Postado 09:38h, 26 dezembro Responder

    bom dia! Podemos dizer que o predicativo é = verbo ação + característica do sujeito.
    Aproveito a oportunidade para dizer que suas aulas são motivadoras e eficientes. Tens vocação para ensinar. Que Deus continue a iluminar seu caminho. Pois são de pessoas assim que o mundo necessita!

    • Língua Minha
      Postado 14:38h, 23 janeiro Responder

      Se o predicativo for do sujeito, esse raciocínio pode ajudar sim…
      Obrigada pelas palavras tão carinhosas! Tudo de melhor para você!
      Um abraço,
      Patrícia

  • Cheridan
    Postado 13:57h, 05 abril Responder

    E eu não entendi nada

Postar um comentário