SEMÂNTICA

SEMÂNTICA é o estudo da significação das palavras. Ao tratar da significação num dado momento, a semântica busca ressaltar dois pontos:

 

1º. A existência dos planos denotativo e conotativo da linguagem:

 

DENOTAÇÃO – sentido real

CONOTAÇÃO – sentido figurado

 

2º. As relações existentes entre o significante e o significado.

 

Nesse sentido, é importante que retomemos a clássica lição saussuriana, segundo a qual o signo é resultado de soma de suas faces distintas e inseparáveis: o significante, que corresponde ao aspecto material (fônico ou gráfico), e o significado, que corresponde às imagens mentais evocadas pelo signo.

 

Dito isso, lembro aqui que este site tem uma proposta sobretudo didática e que, em nome dessa proposta, com o intuito de facilitar a compreensão do estudante não especializado e do público de modo geral, usarei o termo “palavra” no lugar de “significante”.

 

Sublinho, no entanto, que não se trata, rigorosamente, de termos equivalentes, sendo a palavra (signo linguístico) o resultado da união de significante e significado, metaforicamente, corpo e alma…

 

Essas relações semânticas voltadas à relação entre o significante (“palavra material”) e o significado  são chamadas de aspectos semânticos, dentre os quais se destacam:

 

POLISSEMIA: é a propriedade que a palavra tem de assumir vários significados num contexto. Tais significados guardam entre si um traço comum.

 

HOMONÍMIA: é o emprego de palavras iguais com significados diferentes. As palavras homônimas classificam-se em:

 

a) homófonas: apresentam igualdade sonora, mas na escrita (como no significado) se diferenciam. Ex.: concerto / conserto

 

b) homógrafas: apresentam igualdade gráfica, mas na pronúncia (como no significado) se diferenciam. Ex.: almoço (substantivo) / almoço (forma verbal)

 

c) perfeitas: são iguais tanto no campo sonoro quanto no campo gráfico. Ex.: são (verbo “ser”) / são (sadio) / são (santo)

 

SINONÍMIA: é o emprego de palavras diferentes com significados iguais. Cabe ressaltar que a sinonímia perfeita não existe, uma vez que duas ou mais palavras não podem ser rigorosamente iguais no plano do significado. Ex.: matar / assassinar

 

ANTONÍMIA: é o emprego de palavras diferentes com significados opostos. Ex.: alegria / tristeza

 

PARONÍMIA: é o emprego de palavras parecidas com significados diferentes. Ex.: retificar / ratificar

 

 Há, ainda, uma outra relação semântica, muito presente nos estudos sobre a coesão textual, que é a HIPERONÍMIA / HIPONÍMIA. Nessa relação os HIPERÔNIMOS são palavras que, no contexto, têm, em relação à outra (HIPÔNIMO), um sentido mais genérico. Assim, o HIPÔNIMO corresponde à palavra cujo sentido é mais específico e o HIPERÔNIMO corresponde à palavra de sentido mais abrangente.

 

Ex.: Subi na amendoeira e sé desci da árvore quando anoiteceu.

 

amendoeira = HIPÔNIMO

árvore = HIPERÔNIMO

Outra relação semântica existente é a  meronímia/holonímia. Trata-se de uma relação semântica em que um elemento (merônimo) designa a parte e o outro elemento (holônimo) designa o todo. Assim, na relação “casa/parede”, casa é um holônimo e parede é um merônimo; na relação “rosto/nariz”, rosto é um holônimo e nariz é um merônimo.

Nas obras a seguir, você encontrará excelentes lições caso deseje se aprofundar no assunto:

 

ILARI. Rodolfo. Introdução à semântica: brincando com a gramática. São Paulo: Contexto: 2001

 —–. Introdução ao estudo do léxico: brincando com as palavras. São Paulo: Contexto, 2002.

 

VALENTE, André Crim. A linguagem nossa de cada dia. Petrópolis: Vozes, 1997.

 

Fique, agora, com vídeos sobre a matéria:

 

 

Beijos,

Prof.ª Dr.ª Patrícia Corado

Tags
ANTONÍMIA, CONOTAÇÃO, DENOTAÇÃO, HIPERONÍMIA, HIPERÔNIMO, HIPONÍMIA, HIPÔNIMO, HOMONÍMIA, Língua Minha, POLISSEMIA, SINONÍMIA
8 Comentários
  • Matheus Alves
    Postado 08:54h, 24 maio Responder

    Olá, professora! E quanto à relação de meronímia?

    • Patrícia Corado
      Postado 09:42h, 24 maio Responder

      Oi, Matheus! A meronímia/holonímia é uma relação semântica em que um elemento (merônimo) designa a parte e o outro elemento (holônimo) designa o todo. Assim, poderíamos dizer que casa é um holônimo e parede é um merônimo, ou que rosto é um holônimo e nariz é um merônimo. Entendeu? Optei por não colocar essa definição no mapa mental, pois esses mapas exigem uma seletividade das informações, entrando neles apenas aquilo que é mais significativo e recorrente. A relação de meronímia e holonímia é pouco comentada nos estudos brasileiros, sendo mais vista nos estudos europeus… De qualquer forma, acho a lembrança muito válida e inserirei no artigo uma observação sobre essa relação, ok? Muito obrigada pela sua contribuição! Um grande abraço!!!!!

  • itamar
    Postado 11:27h, 07 setembro Responder

    Perfeito

  • Renata Bitencourt
    Postado 15:55h, 28 outubro Responder

    Olá, professora. tudo bem? vou participar de um seletivo, e um dos ítens que eles pediram para estudar é semântica textual: conteúdo e forma/ estruturação frasal e textual. Não estou conseguindo achar nada tão específico assim. seria a mesma coisa que o assunto que vc abordou nesta página? poderia me esclarecer? Agradeço muito.

  • Adriana
    Postado 18:33h, 20 julho Responder

    Se eu uso o termo alma semântica, o que isso quer dizer?

Postar um comentário