Metáfora X Metonímia

São muito comuns as confusões entre a metáfora e a metonímia, as quais são, de acordo com a retórica clássica, definidas como FIGURAS DE PALAVRAS. As figuras de palavras, de um modo didático, seriam caracterizadas por uma mudança, uma transposição ou uma substituição do sentido real de uma palavra, que passa a ser usada de “modo figurado”.

 

As metáforas consistem em uma espécie de comparação implícita, podendo haver nessa comparação a explicitação dos dois termos comparados (Meu filho é um príncipe.) ou explicitação apenas do termo “figurado”, sendo o outro indicado em relações contextuais (Meu príncipe está na escola.).

 

A metáfora que conta com a explicitação dos dois termos, por vezes, pode levar você à confusão entre ela e a símile ou comparação. Para que você não tenha dúvidas, lembre-se de que a símile (ou comparação) conta com o elemento marcador da relação de comparação (igual a; como; parecido com; tal qual…). Assim, se eu disser “Meu filho é igual a um príncipe”, deixo de ter uma metáfora e passo a ter uma símile, certo?

 

Já a metáfora que traz apenas um termo assemelha-se em alguns aspectos à metonímia, a qual ocorre sempre com a explicitação apenas do termo figurado (Construí a casa com o meu suor.). É evidente que ninguém constrói uma casa com o “suor”, o qual é usado figurativamente em lugar de trabalho.

 

Como você deve estar notando, tanto a metáfora quanto a metonímia podem ser figuras fundadas num mecanismo de substituição, em que o termo figurado ocupa o espaço de um outro termo, o qual foi substituído:

 

Meu príncipe está na escola.         Termo substituinte = príncipe    /    Termo substituído = filho

 

Construí a casa com o meu suor.       Termo substituinte = suor  /   Termo substituído = trabalho

 

Como, então, diferenciá-las?

 

Na substituição metafórica haverá entre o termo substituinte e o termo substituído uma relação de similaridade, ao passo que na metonímia essa relação será de contiguidade.

 

A metáfora, portanto, é motivada por uma substituição em que se observa interseção de traços semânticos entre o termo substituído e o termo substituinte. Veja que ao substituir “meu filho” por “meu príncipe” eu estabeleço entre esses termos traços de identidade, associados à beleza, à gentileza, à amabilidade de ambos (príncipe e filho). Perceba que essa similaridade é criada na construção metafórica!

 

A metonímia, por sua vez, é motivada por uma relação de inclusão, de pertencimento, entre o termo substituído e o termo substituinte ou vice-versa. Assim, na substituição de  “trabalho” por “suor”, observa-se que há entre os termos uma relação de semântica prévia, “trabalho” e “suor” são elementos contíguos, cuja associação semântica é previamente presente no imaginário social, sendo anterior à construção metonímica!

 

Então, anote aí:

 

Em uma substituição metafórica, os termos substituído e substituinte não pertencem ao mesmo campo semântico e  guardam entre si uma identidade gerada pela metáfora.

 

Em uma substituição metonímica, os termos substituído e substituinte pertencem ao mesmo campo semântico e  guardam entre si uma relação de sentido que já é socialmente assentida e na metonímia é apenas ratificada.

 

 

Identifique as figuras presentes nas sentenças abaixo como:

 

(1) Metáfora de dois termos explícitos;

 

(2) Metáfora de um termo explícito;

 

(3) Símile

 

(4) Metonímia

 

 

a) (   ) Por onde ela vai, os aplausos a acompanham.

 

b) (   ) “O samba é pai do prazer.” (Caetano Veloso)

 

c) (   ) “Pelos vales de teus olhos/ de claras águas antigas / meus sonhos passando vão.” (Cecília Meireles)

 

d) (   ) Respeite os meus cabelos brancos!

 

e )(   ) Esse homem parece um ogro!

 

 

RESPOSTAS: a) 4; b) 1; c) 2; d) 4; e) 3

 

Fique com um vídeo sobre o tema:

 

Beijos e até a próxima!

 

 

Prof. Dr.ª Patrícia Corado

Tags
Figuras de Linguagem, Língua Minha, Língua Portuguesa, Metáfora, Metonímia
4 Comentários
  • Fabiana Tavares
    Postado 17:02h, 24 dezembro Responder

    Olá!!! Seria muito legal se você nos orientasse sobre as demais figuras de linguagem, inclusive através de vídeos!!! Fica a dica natalina!!! Beijão, Patrícia!

  • Jéssica S Silva
    Postado 19:13h, 05 outubro Responder

    Boa tarde Drª Patricia.
    Estou fazendo um artigo em que analiso as figuras retóricas nas propaganda da Coca-Cola.
    Estou com dificuldade em identificar se há metáfora ou metonímia na seguinte frase: ” mexa-se para ser feliz … um movimento Coca-Cola para você não ficar parado”.

    Você poderia me ajudar a identificar?
    Desde já agradecida.

    • Patrícia Corado
      Postado 23:21h, 08 outubro Responder

      Jéssica, para que avaliemos a produção de sentidos a partir da construção “movimento Coca-Cola”, seria interessante, considerando o gênero textual em questão, analisarmos os elementos não verbais. Em princípio a expressão seria metafórica, mas não devemos considerar isso categoricamente sem a avaliação das imagens, que são componentes deveras relevantes no gênero propaganda. Beijinhos e obrigada pela sua visita!

  • Eliezer Antônio Botelho
    Postado 03:07h, 11 maio Responder

    Figuras de linguagens, sempre foram difíceis para mim. Minhas notas na língua portuguesa, sempre deram para passar, mas nunca fui um aluno nota dez. Mas amo aprender e agradeço pelo texto sobre figura de linguagem. Preciso pesquisar mais sobre esse negócio. Beijos.

Postar um comentário